Você pode começar a desenvolver sua autoestima a partir de agora. Veja como.

Jael Klein Coaracy

Jael Klein Coaracy

A baixa autoestima é responsável por sofrimentos imensos, pois, em geral, pessoas com problemas nesta área não se sentem merecedoras de amor e de sucesso. Quem não tem um bom conceito sobre si mesmo atrai relacionamentos e situações que "confirmam" seu pouco valor. A boa notícia é que autoestima pode ser construída.

O diferencial da autoestima é tão marcante que pessoas que têm uma auto-imagem positiva e se sentem merecedoras de eventos felizes – mesmo sem possuírem qualidades extraordinárias – conseguem realizações consideradas inatingíveis por outras.

Autoestima e uma flor que se rega dia a dia.

Autoestima anda de mãos dadas com a autoconfiança, e ambas se alimentam mutuamente.

Pessoas com boa autoestima tendem a se sair melhor na vida do que outras, que têm uma auto-imagem negativa.

Quanto mais alguém acredita ser capaz de conseguir o que quer da vida, maiores as chances de alcançar seus objetivos.

É que quando as emoções trabalham a seu favor,você consegue acessar ferramentas internas e criar as oportunidades que precisa para realizar seus projetos.

Ao contrário, a pessoa que se julga inferior, que se percebe cheia de defeitos e delimitações, tende a se sentir inadequada e incapaz de conseguir o que quer.

Indivíduos que não acreditam na sua capacidade de conquistar o que desejam obter na vida, costumam remoer pensamentos de derrota e de preocupações.

Dicas para desenvolver a autoestima

§ – Valorize as pequenas conquistas. Ao deixar de se dar o reconhecimento pelo progresso que vem fazendo na direção de novos hábitos, você se coloca para baixo. Entretanto, ao reconhecer pequenas ações que representam mudanças positivas de comportamento, você fortalece sua vontade.

§ –Quando sentir dificuldade em alguma área da sua vida, não se compare com ninguém.  A comparação é negativa por sua própria natureza. Ao idealizar o outro, você se coloca em uma posição de inferioridade. Se tiver que se comparar, compare-se a si mesmo(a), verificando o quanto aprendeu e cresceu com as experiências.

§ – Aceite-se integralmente. A energia que você gasta lamentando o que não gosta em você ou na sua vida só serve para fazer com que você se sinta pior. Use a sua energia para desenvolver novas competências e fazer o trabalho necessário para mudar o que não está bom.

§ –Desista da idéia de perfeição. Pessoas com tendência ao perfeccionismo tendem a se avaliar negativamente. Por não conseguirem fazer algo tão bem quanto gostariam,  costumam desqualificar o que fazem, pois funcionam na base do “tudo ou nada”.  Como diz o ditado popular, o bom é inimigo do ótimo.  Faça o que tiver que ser feito o melhor que puder, dentro das circunstâncias do momento. 

§ – Pense em um novo hábito que gostaria de introduzir na sua vida. Trace uma meta  para incorporá-lo à rotina e faça um planejamento para exercitá-lo. Comece aos poucos, valorizando cada etapa do processo. 

§- Nao acredite que beleza, dinheiro,´popularidade são garantias de autoestima. Amar a si mesmo, honrar a pessoa que se é, confiar na sua capacidade de conquistar uma vida plena depende do modo como você se percebe internamente. 

§-Acredite: você já tem tudo o que precisa para desenvolver seus talentos e potencial para ser feliz. Se não estiver conseguindo acessar esses recursos internos sozinho(a), busque ajuda.

§-Psicoterapias, coaching, leituras, ajudam você a se conhecer melhor e assim, tornar-se capaz de ajustar a “programação emocional” que pode estar comprometendo sua autoestima. Invista em você.

Compartilhe

Outros artigos

Curando sua criança interior

Nunca é tarde para viver uma infância feliz. Entre em contato com sua criança interior e converse com ela. Ouça o que ela está guardando

Entre em contato